Brasil de todas as gentes

brasil

Talvez palavras não sejam o suficiente

Para descrever essa tristeza que corrói o meu ser

O Brasil de todas as gentes

Que deixa de aparecer

Saudade da terra dos índios

Do canto do sábia

Saudade do Pindorama,

Saudade de nadar no mar

Lembro do meu tempo de menina

Natureza era ouro,

Escravo tesouro

Não tinha casa em colina

Só criança a brincar e cantar

Mas afinal o brasileiro, que

Nunca deixa de sorrir

É espírito guerreiro,

Ou não tem pra onde fugir?

(Por Bianca Roberta, Gabriela Delorenço, Lucas Oliveira, Vanessa Monteiro, 2ºEtim)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>