Devir

devir

Culminar com chegada daquilo que se anseia
Mesmo quando não o faz consciente
Me torna tempestade do vento que fui, e
Se ela fez florescer, na simplicidade,
O Narciso,
Se ela fez florescer na surpresa,
A Cicuta
Talvez deixemos o relativismo vivo
E matemos Sócrates outra vez!
Culminar naquilo que me corrói
Me corrói menos do que as lembranças que sou
O Narciso continua Narciso sem a luz
Eu…
Culminação

(Por Natália Magalhães, 2º Etim)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>